O Brasil despede, nesta quinta-feira, 29 de junho de 2023, de Alysson Paolinelli, um dos homens que transformaram e revolucionaram a agricultura do país. O ex- ministro indicado duas vezes ao Nobel da Paz, faleceu em Belo Horizonte, capital de Minas Gerais, seu estado natal. Ele completaria 87 no próximo dia 10.

ORIGEM – Alysson Paolinelli nasceu no dia 10 de julho de 1936, em Bambuí. Segundo informações da Rede Paolinelli, que reúne detalhes da história do ex-ministro, através de seu pai, ele pode presenciar desde muito novo a importância da atuação do setor público no desenvolvimento agropecuário e na evolução da vida e renda da população.

Paolinelli deixou a cidade natal aos 15 anos para estudar em Lavras, no Sul de Minas. Em 1959, ele se formou engenheiro agrônomo pela Escola Superior de Agricultura de Lavras (Esal), atual Universidade Federal de Lavras (Ufla). No mesmo ano tornou-se professor na instituição, onde mais tarde ocuparia o cargo de diretor.

O trabalho que impulsionou a agricultura nacional

Após se destacar em Minas Gerais, em 1974, Alysson Paolinelli tornou-se ministro da Agricultura. Priorizando a ciência e a tecnologia, estruturou a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Implantou um ousado programa de bolsas de estudo para Mestrado e Doutorado, nas melhores universidades de ciências agrárias do mundo.

Criou o Programa de Desenvolvimento dos Cerrados (Polocentro), com novos mecanismos de política agrícola e levando infraestrutura e tecnologia para produzir alimentos na região.

Para apoiar o Polocentro com pesquisa agrícola específica, implantou a Embrapa Cerrados, impulsionando o grande salto da agricultura brasileira.

O governo de Minas Gerais divulgou uma nota de pesar pela morte do professor, engenheiro e ex-ministro. Diz que ele deixa um “imenso legado para a agricultura do Brasil e do mundo”. 

Atualmente, estava na presidência da Abramilho

Desde 2022, Alysson Paolinelli estava como presidente executivo da Associação Brasileira dos Produtores de Milho (Abramilho).

Em 2012, fundou o Instituto Fórum do Futuro, voltado ao debate sobre o desenvolvimento sustentável, com foco em inovação, tecnologia e pesquisa. No Fórum, ele estava à frente do Projeto Biomas Tropicais, que oferece um novo caminho para a produção alimentar, preconizando a precedência da ciência na definição dos limites de uso sustentável dos recursos de cada bioma, antes do seu uso econômico.

Em 2006, Alysson Paolinelli foi premiado com o World Food Prize pelo incentivo à agricultura tropical brasileira na evolução da oferta de alimentos no mundo.

Paolinelli também já foi presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).

Nós do Mírian Gontijo Advogados lamentamos a perda de Alysson Paolinelli e reconhecemos a sua bela trajetória no agronegócio brasileiro.

Fonte da notícia: G1 Notícias

Foto: Divulgação

Compartilhar:

Gostaria de receber nossas comunicações?

Ao assinar a nossa newsletter, você concorda com os termos da nossa Política de Privacidade.


    Ao informar meus dados, concordo com os termos da Política de Privacidade do Mírian Gontijo Advogados

    Este site é protegido por reCAPTCHA e pelo Google, Política de privacidade e Termos de serviço se aplicam.